Ir para o conteúdo Ir para rodapé

LIVRO DE ORAÇÕES

Autor:Sona, Fátima

7.00

Informação adicional

Peso 110 g
ISBN

978-989-8147-53-0

Ano

2011

Edição

1

Idioma

Formato

112X170

Encadernação

Cartonada

N. Pág.

71

Colecção

REF: 618 Categorias: , ID do produto: 23449
Partilhe:

PRELÚDIO

Entendo e sinto a Oração como um poema criador de ordem e de harmonia que permite esvanecer sombras e amainar turbulências, uma forma de enriquecimento espiritual, um meio de estimular atitudes éticas, independentemente de confissões professadas ou de crenças particulares. Oriunda da alma e do coração, atenua teimosias, vence intolerâncias, desfaz rivalidades e incompreensões, proporciona e incentiva procedimentos mais humanos.
Composta e desabrochada no laboratório alquímico da alma, a Oração proporciona atitudes de ligação entre o espírito e a matéria. Numa sociedade marcada por tendências excessivamente manipuladoras e materialistas pode ser assumida como um acto indispensável no caminho de harmonização integral do ser humano ou mesmo vivida como um rito diário.
De facto, enquanto instrumento de purificação e de transmutação da matéria adversa do quotidiano desempenha um papel importante no controlo de estados e emoções perturbantes, interiores e exteriores, oriundos da nossa personalidade em conflito consigo própria ou com o Mundo. Através dela, aquilo que está danificado pode ficar progressivamente depurado, reorientado e inclusive sanado através de uma repetição persistente.
Erasmo de Roterdão define-a como um «perpétuo colóquio com Deus» , apontando «três fórmulas (formulas) de orar, apesar de que nada proíbe a uma pessoa abrir (aperire) com quaisquer palavras, os seus afectos a Deus, sobretudo quando ora sozinho, desde que peça em nome de Jesus e queira (postulet) o que não colide com o objectivo da salvação eterna, e não se afaste daquilo que o Senhor nos ensinou no seu paradigma de oração (formula)» . A sensibilização e o contributo erasmianos para a prática da Oração, e respectivo apelo à componente espiritual, realçam a espontaneidade natural dos actos de louvar e de agradecer tantas vezes esquecida e que constituem a essência da Oração.
As Orações que partilho intentam reavivar a centelha espiritual e relembrar os seus benefícios para que o Ser não se perca nos labirintos das tendências e das pressões internas e ambientais e esqueça a dignidade intrínseca à sua natureza humana. Se algumas nasceram espontaneamente como um hino de louvor e de agradecimento, outras foram criadas de acordo com algumas necessidades prementes, emocionais e espirituais, resultantes de vivências e de provações por mim experimentadas.
Dirigem-se, pois, àqueles que anseiam harmonizar a sua Vida e foram criadas de acordo com algumas premências espirituais sentidas em diversas situações para purificar pensamentos e emoções através de princípios e de valores que reflectem e inspiram a nossa origem divina. Os Leitores podem também criar as suas próprias Orações ou adaptar as que aqui deixo às situações vividas particularmente.
Cite-se, por exemplo, o perdão, tão difícil de experienciar porque espiritualmente exigente, mas indispensável porque perdoar e perdoar-se equilibra-nos e torna o mundo mais harmonioso. O Ego purifica-se ao abdicar da posse ilusória da ofensa ou do engano, aumenta-se o Amor e a alma desperta para o seu centro mais verdadeiro e luminoso.
As Orações distribuem-se por dois capítulos: «Orações Gerais» e «Orações do Casal». As primeiras têm um cariz individual e as segundas destinam-se aos casais que pretendem aceder a planos mais altos do seu Amor. No entanto, o primeiro grupo encerra também uma possibilidade colectiva bastando para isso substituir o pronome «Eu» pelo pronome «Nós». Desse modo, alarga-se a Oração à Família, ao Grupo ou ao Mundo, uma vez que a corrente emanada colectivamente potencializa quer o poder do Verbo, quer os efeitos benéficos dele emanentes e decorrentes.
Orar é um acto de Amor e, na realidade, o Amor não aceita fórmulas fáceis nem convicções supersticiosas assim como também rejeita falsidades, tropeções, oportunismos, imposições obstinadas e outros trunfos devaneantes da mente. Acto de captação e emanação de forças divinas em nós, e exteriores a nós, consegue atear e desenvolver a chama vigilante da Consciência. Neste sentido, é como se existisse uma Oração implícita, sentida e verdadeira por detrás de cada tentativa minha e dos Leitores de religarmos os nossos laços entre o Céu e a Terra:

ORAÇÃO DA ORAÇÃO
Divina Luz, desce até nós
e atravessa a alma desejosa de perfeição
no tempo sem limite da consciência.
Envia Teus feixes luminosos e incandescentes
e anima-nos a praticar incansáveis vezes
o Teu lema maior, irradiante de Amor e Gratidão:
«Dar e receber, partilhar e agradecer».
ASSIM SEJA!

ORAÇÃO DA PAZ

Divino Espírito,
faz de mim a flor da tua Paz.
Ajuda-me a perfumar a vida de Amor,
pois é amando que se ama,
é sonhando que se conforta,
é sendo que se anima,
é sentindo que se desperta,
é perdoando que se purifica,
é persistindo que se alcança.

Dá-me o Amor para que eu ame,
dá-me o Sonho para que eu console,
dá-me uma Alma que se conforme
ao Saber mais alto e mais Sublime:
a Luz da Eternidade.

ASSIM SEJA!

(Esta foi a minha primeira oração, inspirada na Oração de S. Francisco)

ÍNDICE

PRELÚDIO
CAPÍTULO I
ORAÇÕES GERAIS: ATEANDO A CENTELHA DIVINA
Oração da paz
Oração da clareza
Oração da unificação
Oração da sabedoria
Oração de depuração
Oração do sublime
Oração da saúde
Oração da alegria
Oração da aceitação
Oração da pacificação
Oração da purificação
Oração do desapego
Oração da concórdia
Oração do silêncio
Oração do luto

CAPÍTULO Ii
ORAÇÕES DO CASAL EM BUSCA DUM AMOR MAIOR
Oração da fidelidade
Oração da cedência
Oração da purificação
Oração da confiança
Oração do respeito
Oração da reconciliação
Oração da tristeza
Oração da felicidade
Oração das horas más
Oração de elevação
Oração da bondade
Oração do discernimento
Oração de protecção
Oração de gratidão