Ir para o conteúdo Ir para rodapé

TOQUE SÁBIO

Autor:Meira, Inês

10.00

Informação adicional

Peso 175 g
ISBN

978-989-8994-13-4

Ano

2020

Edição

1

Idioma

Formato

145 x 210

Encadernação

Cartonada

N. Pág.

86

Colecção

REF: 803 Categorias: , ID do produto: 23556
Partilhe:

As mãos são pontos de interacção, com as quais exploramos o mundo e nos ligamos uns aos outros. A necessidade de tocar e ser tocado afecta o desenvolvimento de crianças e adultos.
O ambiente racional e competitivo em que vivemos, levam-nos a ignorar a voz do nosso corpo e a desconsiderar os nossos sentimentos. Estamos tão viciados em olhar para fora, que o mundo interno foi ficando cada vez mais esquecido.
O estado de alerta, quando estamos prontos a reagir, é essencial para lidar com as pressões diárias e garantir a nossa segurança. Mas é igualmente fundamental que quando o stress acaba o corpo volte a relaxar. A permanência neste estado enfraquece o sistema imunitário, causando doenças. Uma doença pode ser um pedido do corpo para alterar as condições em que vive. Uma súplica para nos lembrarmos de quem somos.
Ter consciência do nosso corpo permite-nos descobrir quem somos. O nosso corpo é o nosso mais fiel testemunho. Esteve sempre connosco e conhece-nos melhor que ninguém. Considero que o organismo é a nossa chave para abrir as várias portas de criação que temos dentro de nós e nem sabíamos.
Este é o grande desafio numa cultura tecnológica. Tocar é o modo natural de estar em contacto, quer com o mundo exterior quer com o mundo interior. E torna-se cada vez mais raro.

RESUMO BREVE SOBRE A HISTÓRIA DAS MASSAGENS

A Ayurveda é o mais antigo sistema holístico da Humanidade. Holístico é aquela palavra chata que foi perdendo significado ao ser usada ao desbarato, tal como bio ou zen. Mas o que é que realmente significa? Holismo concebe o indivíduo como um todo, ou seja diz-nos que o nosso corpo está ligado ao nosso intelecto, e que as partes racional e emocional não se podem separar.
Reconhecida pela Organização Mundial de Saúde, a Ayurveda traz consigo o papel de mãe da medicina moderna. Não se foca na doença, mas sim na saúde. Tal como uma mãe carinhosa quer os seus filhos saudáveis, aposta na prevenção, vendo a doença como resultado do desequilíbrio da saúde.
Esta filosofia indiana baseia-se na arte de viver em harmonia com as leis da natureza. Os cinco elementos também estão no corpo humano, pelo que o individuo é visto como o microcosmo do macrocosmo, uma miniatura da natureza (água/paladar, fogo/visão, terra/olfato, ar/tacto, éter/audição).
A Ayurveda dá grande importância às acções preventivas relacionadas com a alimentação (personalizada), actividade física (yoga), rotinas (meditação) e técnicas que promovem
sensação de bem-estar (massagem).
Na massagem Ayurvédica usam-se óleos. Estes têm ingredientes diferentes e a sua escolha varia consoante o estado de espírito do massajado: mais ansioso/sensível (Alfazema), enérgico/ reactivo (Côco) ou calmo/metódico (Mostarda). A pele assimila rapidamente as propriedades nutritivas, antioxidantes e curativas dos óleos. Durante a massagem, os movimentos são geralmente circulares e ascendentes, desbloqueando e elevando a energia do indivíduo.
Entretanto no Japão, outra massagem ganhou popularidade ao longo dos séculos. Se uma era mãe, a Medicina Tradicional Chinesa (MTC), que influenciou o Shiatsu, pode ser considerada o pai da medicina moderna. A massagem shiatsu também é realizada no chão, em cima de um colchão (tatami), mas as técnicas variam. Aqui não se usa óleo. O massajado veste roupas confortáveis
que possibilitem mobilidade. O Shiatsu baseia-se em pressões com os polegares em pontos (tsubos) localizados ao longo de linhas energéticas (meridianos) e destaca-se também pelos alongamentos.
A dor é o sinal mais óbvio do desequilíbrio energético.
Segundo esta filosofia, os meridianos são canais através dos quais a energia flui, dando alimento e força a todo o corpo.
Cada meridiano está associado a um órgão, sendo que as pressões fortalecem os órgãos correspondentes e permitem a auto-cura. A aplicação de pressão num tsubo cria um movimento
de mensagens eléctricas no meridiano e no sistema nervoso.
Estes avisos chegam até ao cérebro, que depois responde com uma mensagem a fim de corrigir a disfunção. O fluxo contínuo da energia mantém a saúde.
Esta filosofia japonesa relaciona a parte fisiológica com as emoções. O mau funcionamento num órgão convida-nos a olhar para dentro a fim de relembrar sentimentos que possam estar recalcados e por resolver: fígado/raiva, rim/medo, ansiedade, pulmão/tristeza, estômago/preocupação, coração/cólera, irritabilidade.
Ao recordar, estamos a digerir a possível situação traumática. Ao aceitar o que nos aconteceu, estamos a possibilitar a cura. É engraçado o uso da palavra digerir na frase acima.
Assim como as expressões idiomáticas: não leves tão a peito e é preciso estômago para isso. Já para não falar nas famosas dor de cotovelo ou costas largas. Mais à frente abordaremos o assunto.
Entretanto na Tailândia, a massagem Tailandesa, assemelha-se ao Shiatsu pelo facto de se fazer sobre o tatami, sem óleo. O massajado veste roupa cómoda, pois esta massagem é conhecida
como uma forma de yoga passivo. Alongamentos das costas, pernas, pés, braços, pescoço e dedos, estimulam o corpo.
A mistura de conhecimentos budistas e hindus sente-se durante a massagem, quando o terapeuta usa as mãos, cotovelos, joelhos e pés para fazer as mobilizações e tracções. O relaxamento vem depois da massagem. Mas não se deve confundir pressão por força. O objectivo não é fazer o massajado sofrer, mas sim desbloquear tensões que se tinham acumulado no corpo.
Viajando até à China, encontramos a Reflexologia. Esta massagem foca-se nos pés e era usada como meio de diagnóstico, antes dos avanços na medicina. Mais de cinquenta pontos no pé reflectem o estado de saúde das várias zonas do corpo. Se dói, significa que o órgão correspondente necessita de cuidados. Massajar por mais tempo este ponto, vai aliviar as tensões nesse órgão e melhorar o seu funcionamento.
Pés como mapas do corpo. A beleza desta massagem está na sua simplicidade. Pode parecer simplista, mas a sua precisão é espantosa. Ao decorar a sequência e a localização dos diversos pontos, podemos promover bem-estar até a nós próprios. Esta é das únicas massagens que podemos realizar a nós mesmos. Ao agir como complemento da medicina moderna, a Reflexologia ajuda nas mais diversas maleitas: tosse (aconselha-se massajar os pontos da garganta, brônquios, pulmões), problemas renais (rins, ureteres, bexiga), indigestão (estômago, intestinos, diafragma),
enxaqueca (cabeça, olhos, fígado).
No meio do Oceano Pacífico, a massagem Lomi-lomi já não se baseia em pontos específicos. Não é necessário decorar uma imensidão de linhas e pontos energéticos. Aqui a massagem é feita sobre uma marquesa, o que possibilita que o terapeuta esteja de pé. O massajado está tapado com uma toalha por cima das áreas mais íntimas. O terapeuta trabalha à volta da marquesa, com ordem quase aleatória: alternando entre massajar as costas e as pernas, os lados esquerdo e direito do corpo.
O massajado é como uma ilha e o terapeuta age como o mar à sua volta. Esta filosofia insular defende que quando não sabemos o que vai acontecer a seguir, deixamo-nos levar. Deixamos de querer controlar a situação e desligamos.
Esta massagem baseia-se em deslizamentos suaves, quase ondas, com óleo, dos pés à cabeça. Massajamos em simultâneo o lado direito e esquerdo do corpo, com técnicas em forma de estrela (uma mão massaja o ombro direito ao mesmo tempo que a outra mão massaja a perna esquerda, e vice-versa).
Durante a massagem, podemos voltar atrás e trabalhar de novo certo músculo, de forma a não haver expectativa. O trabalho de mãos e antebraços é alternado. Por vezes as mãos fazem
movimentos diferentes em simultâneo, o que requer alguma perícia (mão direita com nodulares segundo os ponteiros do relógio e mão esquerda com amassamentos em contra-relógio).
O mote é confundir e embalar. Desta forma os dois hemisférios do corpo estão em relaxamento, o que leva o cérebro a confiar e a abstrair-se. Quase barco no oceano.
Existem muitas outras massagens, inclusive vindas dos Estados Unidos (massagem geotermal) e da Suécia (massagem Sueca). O presente resumo não se propõe ser uma análise exaustiva e histórica, mas serve para mostrar como o poder do tacto foi sendo considerado importante nas mais diversas
civilizações.

ÍNDICE

Introdução………………………………………………………………………………9
Cumprimentar com as mãos………………………………………………………13
Resumo breve sobre a história das massagens………………………………17
Massagem como facilitador do equilíbrio entre corpo e mente………23
Redescoberta do corpo……………………………………………………………27
Chakra da coroa – ligação com o universo……………………………………33
Chakra frontal – intelecto e intuição…………………………………………39
Chakra laríngico – comunicação e expressão………………………………45
Chakra cardíaco – amor e compaixão……………………………………………51
Chakra plexo solar – adaptação e transformação…………………………57
Chakra abdominal – criatividade e emoção…………………………………60
Chakra da raiz – suporte e estabilidade………………………………………64
O poder de mudar a nossa vida está no nosso corpo………………………70
Pausa para respirar…………………………………………………………………72
Conclusão……………………………………………………………………………74